Buscar

O Ansioso Problema que Nos Trouxe Aqui

Hey, eu escrevi diversos artigos sobre um dos transtornos mais comuns hoje em dia, a depressão, deixando para trás outros transtornos importantes. Acho que é hora disso mudar, não? Então hoje vamos falar sobre a ansiedade.


Vamos falar sobre algo diferente:como ela é boa e como não estaríamos aqui sem ela. Você realmente achou que conversaríamos sobre como lidar com ela? Ou questões epidemiológicas dele? Não, vamos falar apenas da origem desse transtorno e dos processos ansiosos. Talvez uma próxima vez possamos falar sobre tais questões. Se foram diversos sobre depressão, ansiedade merece mais de um.


Mas para começarmos, vamos falar sobre alguns dos sintomas da ansiedade, não todos, já que a complexidade de transtornos é proporcional à complexidade das sociedades que ocorrem, mas vamos olhar alguns mais primitivos, por assim dizer: Taquicardia, sudorese e palpitações. Praticamente o suprassumo do transtorno ansioso.

Provavelmente essa dor de barriga era um problema maior…

Dizem que os transtornos ansiosos são uma preocupação com o futuro, o que é razoável. A preocupação de uma ameaça prevista no nosso futuro. Essas sensações refletem isso, uma preparação prévia para assinar a compra de uma casa ou de antes da entrevista de emprego.


Não faz muito sentido, parece até o inverso da sensação correta,mas vamos tentar compreender. E não precisa jogar esse tomate em mim, fará sentido.


Imagine você em um contexto mais naturalista, sem casas, sem prédios e sem água encanada. Sua vida toda nesse lugar. Comendo o que você encontra, indo de lugar a lugar, para encontrar algo que forre o estômago. Ser um caçador-coletor está na crista da onda. Você ri daqueles que moram em cavernas e colocam na terra a parte que não se come das frutas, morrerão predados ou famintos, otários…

Eu culpo o monólito por todos os nossos problemas. Volta nomadismo!

Uma vida de luxo, não acham? Mas ela tem problemas que devem ser notados. Simplesmente, andamos por locais com a presença de predadores, como lagos e matas fechadas. Encontraríamos talvez uma vez por mês um leão, lobos, ratos pulguentos, coisas que matam pessoas fácil, fácil. Temos que estar atentos, como vamos fugir? E senão fugirmos, veremos o nosso próprio intestino, uma visão única e pouco prazerosa.E caso estejamos cercados,como vamos enfrentá-los? Com as nossas unhas? São perguntas que devemos fazer antes do encontro, improvisação nem para show de Stand-Up serve.


As reações ansiosas são uma resposta a isso. Se não nos atentarmos aos sinais de leão ou a bela juba dele: ensopado humano. Sobrevivemos por que tais sensações existiram e nos possibilitaram correr no primeiro sinal de problema. Claro que nem todos viveram para contar a história, já tentou correr de um galo? Não somos os animais mais aptos sem ferramentas da ciência. O grupo que correu, sobreviveu.


Aqueles que comeram aquele suculento pacote de fandangos que encontraram crescendo na árvore e não notaram a presença do leão não estão mais entre nós. Só quem deu as costas à Fandangueira está aqui. Podemos dizer que contra nós, os maiores aliados do leão são as árvores de salgadinho e de chocolate.

Se for esse leão saiba que está tudo bem, ele é a presa.

O problema se dá quando a papelada que você deve preencher todos os dias é o leão, já que você precisa desse emprego, vaga na faculdade ou nota. E comparações como dizer que o problema da vida começa quando você entra no mercado de trabalho e não na escola, faz com que nos preparemos de forma exacerbada a situações que nunca experienciamos, já que a escola é problemática em si.

Se você for mal nisso um leão horrível vai aparecer. A recuperação! mwahaha!

Mas no final das contas, hoje,não teríamos plantações gigantescas de Fandangos se não tivéssemos fugido da Fandangueira à 7000 anos atrás. Praticamente uma história de sucesso e superação frente as adversidades. Então, parabéns espécie humana?


Por hoje é isso, até a próxima e tenham um dia reforçador.

Se você está localizado em Sâo Paulo, Santo André, São Bernardo ou São Caetano ou tem facilidade de locomoção pelo metro, venha conhecer as nossas instalações.

A clínica localizada entre a Rua Bom Pastor e a Avenida Nazaré, próximo ao Museu do Ipiranga.

Próximo as estações Alto do Ipiranga e Sacomã da Linha 2 Verde do Metro.

Permita-me participar da sua mudança!

© 2019 por Gustavo Engelmann Cunha.