Buscar

Como fazer-se ouvido e influenciar compreensão

Realmente eu espero que tenha ficado claro, mas a brincadeirinha do título está relacionada ao artigo de hoje, comunicação entre pessoas. De uma forma breve, como ser melhor entendido e conseguir as mudanças dentro de relações. Só espero que você, por engano, não esteja buscando o valor do frete do livro, por que aqui você não vai achar e vai uma dica, um leitor digital de livros é mais leve e ecologicamente correto, do que comprar milhares de árvores em formato A4.


As pessoas geralmente só olham para o que falam em dois momentos, quando querem escrever sobre e quando falam merda. E só em uma dessas há um saldo positivo. Há uma diferença entre falar o que precisamos e falar tudo o que queremos, o que geralmente passa dos limites, seus ou dos outros, destruindo relações e autoestima.


Sabe aquela pessoa que tem uma lábia, tem um jeito com as palavras que você se dispõe a fazer qualquer coisa por ela, só por ela ter pedido? Sendo que ela não fez absolutamente nada, ficou só deitada no sofá. E tem como piorar, essa pessoa não tem nenhuma autoridade sob você, ela só sabe aquele jeitinho que dá vontade de ajudar.

"Para mim, é só uma perda de energia. Não tem sentido." - Hilda, 2019. Esse é um jeito de fazer os outros fazerem as coisas…

Esse artigo não vai te ajudar nisso, não especificamente. Não desse jeito. Até por que deve haver uma leitura fantástica do ambiente para chegar nesse ponto de controle dos outros, o que em um teclado não dá para fazer, a não ser por anedotas.


O que esse artigo se propõe é: oferecer aos outros o seu ponto de vista e como propor mudanças. Já fazemos isso o tempo todo, manipulamos a todo tempo, para deixá-los felizes ou para continuarem o papo. Manipular não é fazê-los sofrerem e sim, interagir, e interações podem ser positivas ou negativas.


Parece até que tudo nessa vida está ligado ao contexto em que ela ocorre…


Esse tema pode parecer um pouco polêmico, ou como diriam, disruptivo, e talvez uma discussão mais aprofundada nele seja bem-vinda, mas não é o tema de agora. Voltemos para o assunto atual.


O primeiro passo para manipular os outros e fazer amigos é: compreender o que está rolando. E esse já pode ser um sério problema inicial. Para ilustrar, veja essa bela foto:

Indubitavelmente você tem opiniões sobre essa foto, e talvez sobre mim. Não os culpo, eu também me julgo. Mas me contem o que você vê nessa foto.


Seu filho da mãe, a foto de um fantasma aterrorizante no meio de uma estrada velha, isso vai me assombrar pelo resto da minha vida. E além disso ela está atravessando fora da faixa, o que hoje em dia daria multa.


Só posso pedir desculpas por ter proporcionado tal experiência, mas agora Inês é morta. Mas pedi-lhes que descrevessem a foto, não vossa opinião sobre ela, é fácil misturar tudo e perder o factual, o palpável. Uma descrição deve apenas conter aquilo que o nariz pode cheirar, não o que o coração sente.


Agora podemos passar para os seus sentimentos sobre o assunto. Veja, não os sentimentos que são gerados em mim ou no coleguinha do lado, somente em você. Veja essa bela foto:

O que ela gera em vocês? Ódio, arrependimento, lágrimas? Identificar expressões faciais e os sentimentos de terceiros são habilidades importantes, definitivamente, mas é apenas um chute. A única pessoa que tem acesso certeiro as suas emoções é você e abri-las em certas situações pode ser essencial. Não arrisque em momentos difíceis em tentar acertar o sentimento do outro, a não ser que você seja muito bom nisso. Já tem sentimento demais na sala.


A última parte das manipulações interpessoais é saber o que pedir. Por exemplo, veja essa foto:

Há! Humor de repetição!

Tudo o que vocês mais querem é que eu tire essa desgraça da frente de vocês e pedir isso é essencial. Não mostrarei mais, ok? Caso não atue sobre os seus desejos, as pessoas podem ficar perdidas em como te ajudar, tornando tudo acima inútil.


Claro, no dia a dia, tudo o que descrevemos aqui é falado de maneira espúria e misturada, mas uma dissecação, pode mostrar qual parte do sapo que engolimos todos os dias por não saber como fazer, dando-nos um norte de como melhorar. E isso sem entrar um milímetro nas situações cotidianas.


Por hoje é isso, até a próxima e tenham um dia reforçador.

Se você está localizado em Sâo Paulo, Santo André, São Bernardo ou São Caetano ou tem facilidade de locomoção pelo metro, venha conhecer as nossas instalações.

A clínica localizada entre a Rua Bom Pastor e a Avenida Nazaré, próximo ao Museu do Ipiranga.

Próximo as estações Alto do Ipiranga e Sacomã da Linha 2 Verde do Metro.

Permita-me participar da sua mudança!

© 2019 por Gustavo Engelmann Cunha.